February 5, 2018

Please reload

Posts Recentes

Aprendi a aceitar as coisas como elas são

January 10, 2018

1/3
Please reload

Posts Em Destaque

O que dizem as pessoas que experimentam aulas de improviso?

May 3, 2017

 

      Nós (equipe RIA) acreditamos que a improvisação é para todos! Sim, todo e qualquer ser humano deste planeta se beneficiaria ao experimentá-la. Nossa convicção nasce da própria experiência. Desde o primeiro momento em que vivenciamos essa “loucura”, ficamos muito impressionados com os efeitos causados individual e coletivamente. Temos o costume de ler muito a respeito do tema, afinal, somos apaixonados pela metodologia.

 

      Foi nessa busca que encontrei uma série de artigos constando relatos pessoais de sujeitos ao redor do mundo que se lançaram corajosamente em aulas de improvisação. Conforme eu os lia, sentia como se luzes de Natal ascendem-se no meu estômago, afinal, elas estavam falando sobre o nosso instrumento de trabalho, sobre a nossa paixão! E falando muito bem! Relatando a forma como o improviso mudou a vida de cada um.

           

      Decidi então compartilhar com você os pontos que considerei mais incríveis. Classifiquei os relatos em 9 preciosos aspectos de mudança descobertos nessas aventuras. Lá vai…

 

 

 

 

1.  Enfrentamos o medo

Todos tememos sair da zona de conforto. (Ponto final, porque isso é indiscutível. Mesmo os mais aventureiros têm pontos fracos.) No improviso, no entanto, conseguimos criar uma “zona de segurança”, onde todos os jogadores aprendem a idolatrar o erro. O erro aqui não é só bem-vindo, como é também parte fundamental do processo de criação. Aprendemos a parar de fazer milhões de perguntas antes de agir para compreender o processo ou nos proteger do fracasso. Essa postura atrasa tudo e nos congela! Não existe nada mais eficiente do que a ação: experimente! Se der errado? Ria e tente de novo. (Segredo dos improvisadores: é no erro que nasce o humor.)

 

 

2. Nos tornamos pessoas melhores (melhor pai, colega, vizinho, amigo)

Improvisadores não bloqueiam ideias, eles buscam aceitar todo conteúdo presente no jogo e construir a partir dele. Além disso, eles aprendem a deixar os outros bem em cena, evitando colocar o companheiro em situações constrangedoras. Sabem cuidar-se e cuidar dos outros, e isso é tudo o que o mundo precisa. No improviso, aprendemos a realmente ouvir, e todo ser humano necessita (e adora!) ser ouvido de verdade. Improvisadores não apenas reagem a situações, eles respondem (pois treinam milhares de resoluções para cenas do cotidiano). São treinados para construir relações de confiança, valorizando a construção coletiva e o compartilhar. Se não confiarmos em nosso parceiro de cena, perdemos a naturalidade e nada acontece, nos paralisamos.

 

 

3. Nos tornamos profissionais melhores

Improvisando trabalhamos amplamente nossa habilidade de se comunicar, assim como nutrimos nosso pensamento criativo. Não importa se você é um ator em busca de mais vida para suas cenas ou um diretor de uma empresa tentando melhorar o seu discurso e a forma como você se apresenta a outras pessoas, a improvisação pode mudar sua vida. O improviso te ajuda a manter uma postura de aceitação, te ensina a adicionar assertivamente suas ideias no campo dos relacionamento ou dos negócios, te tornando uma pessoa muito agradável e interessante de trabalhar e conviver. A improvisação te ajuda a dizer o que precisa ser dito, a encontrar os gaps de uma situação, ou seja, os espaços a serem preenchidos, prestando atenção no que realmente importa. Aprendemos também a pensar muito mais rápido. O improviso reformula nosso mapa mental: paramos de enxergar somente os problemas e criamos estratégias para visualizar todas as possibilidades positivas que estão ali escondidas. De repente, as situações parecem ter múltiplas resoluções, até mesmo nos menores cenários. Ou seja, paramos de utilizar apenas as maneiras formais de pensar, deixando que o corpo, os movimentos e a intuição encontrem as soluções do aqui e agora.

 

4. Reaprendemos a brincar

A improvisação nos devolve um privilégio: a reconexão com a postura “brincante” que foi esquecida na infância. Improvisar traz a mesma sensação de dançar como se ninguém estivesse te olhando, e isso é libertador. Quando crescemos, paramos de ter oportunidades de apenas brincar. Jogar por jogar, sem precisar de um motivo, isso é incrível! É um liberador de endorfinas! Improvisar te expõe a todo tipo de pessoa, e elas estão todas reunidas por um motivo: se divertir! Não existe razão mais genuína do que essa. Rir é uma força, um impulso muito positivo, que nos coloca em movimento e nos transforma. Além disso, o treino do improviso nos coloca em contato com a imaginação, a fantasia. E é brincando com essa brecha entre fantasia e realidade que nos mantemos em estados criativos.

 

5. Desenvolvemos nossas faíscas criativas

É inacreditável as variáveis que encontramos com essa postura leve que falei no ítem anterior. Muitas resoluções criativas que nem imaginaríamos se mantivéssemos a postura fechada do dia a dia, aparecem em abundância. Isso acontece, porque treinando, aprendemos a aceitar todas as ideias que surgem, inclusive as mais bobas e loucas. Com isso, fomentamos nosso ser criativo adormecido e o colocamos para fora. Treinar improvisação ajuda o seu cérebro a sair de seu próprio circuito de funcionamento para encontrar novas saídas. A prática nos ajuda a olhar para as melhores ideias que já estão à nossa volta. Quando precisamos “inventar” algo, não podemos nos dar ao luxo de jogar nada fora. Prestando muita atenção no aqui-agora, descobrimos que temos muito mais recurso do que imaginávamos.

 

6. Conhecemos pessoas de uma nova forma

A improvisação envolve muito de quem somos, e com ela aprendemos a nos relacionar em outra frequência com quem jogamos. Olhamos uns para os outros como parceiros de crime, nos vendo em várias “roubadas”. Nos expomos, e os outros cuidam da gente (o oposto também). Nos enxergamos sem a carcaça diária, sem rótulos, definições ou histórias congeladas. Essa fluidez das relações viram presentes insubstituíveis.

 

7. Alivia a tensão e o stress

Pelo humor, pela postura “brincante”, por tanto erro bem-vindo, pelas risadas, pela descoberta de posturas corporais nunca antes exploradas, por impressionar-se com a própria capacidade de criar. Quando passamos por alguma situação estressante na vida, é válido lembrar de alguma coisa hilária que experimentamos nas aulas de improviso, então a situação estressante passa a parecer ridícula.

 

8. Aprendemos a lidar com a vida

Improvisação te ensina a abraçar os teus fracassos, ao invés de temê-los. Ela nos lembra o quão incrível é a palavra sim. Aprendemos a nos encorajar e encorajar nossos colegas na realização de atos muito corajosos, criativos e gentis, apenas dizendo sim. Dessa forma, nossas ofertas ao mundo vão se tornando muito mais ousadas, gerando maior impacto positivo nos grupos em que circulamos. Aprendemos a se desfazer da expectativa de como as coisas deveriam ser, e abrimos o peito para corresponder ao que está acontecendo. A vida é basicamente conexões e no exercício do improviso aprendemos elevar ao máximo nossa capacidade de se conectar com os outros e com a vida. Improvisando paramos de temer o novo, e lembramos que o improviso está em toda parte, cada conversa que temos é um ato de improviso. Passamos a perceber o poder da influência que exercemos em situações da vida, e enxergamos as inúmeras opções de ação diante de cada uma delas.

 

9. Improvisação é divertido e muito terapêutico

Passamos uma vida aprendendo a ser como todo mundo. Quais os personagens internos acabamos perdemos no meio do caminho em função disso? A improvisação ajuda, de forma quase mágica, a resgatar um a um e ainda a criar vários papéis nunca antes imaginados. Ela tem o poder de dar luz a tudo que é especial em você. Se somarmos todos itens anteriores, chegaremos à conclusão de que as aulas de improviso são espaços de experimentação, um laboratório da vida. Nos colocamos em situações extremas, compartilhamos pensamentos íntimos. Estamos criando no aqui-agora, deixando de controlar toda e qualquer ação, deixando a espontaneidade fluir livremente. Isso tudo com parceiros de jornada, pessoas dispostas a descobrir caminhos e personagens ainda não desbravados. Por “brincar” com cenas da vida, várias pessoas afirmam que evoluíram mais com aulas de improviso do que com a própria terapia, e de forma muito mais leve e divertida. Se sentir confortável sem funcionar sob a ótica do controle é estranhamente gostoso. O corpo inteiro ganha vida nos diversos personagens e isso mexe com todo nosso sistema. Todos sabemos que temos ideias internas que não manifestamos e a improvisação é a ferramenta para dar vida a essas ideias. Você irá se encontrar e encontrar todos os seus anjos e demônios em cenas improvisadas. É uma forma de acessar conforto vestindo sua própria pele.

 

 

 

Gostou e ficou com vontade de experimentar? Então clique aqui, veja nossa agenda de cursos e venha se desenvolver!

 

 

Quer saber mais? Então leia os artigos na íntegra e delicie-se:

 

https://appliedimprovthinking.wordpress.com/2014/01/10/why-you-should-take-an-improv-class/

 

http://scottberkun.com/2013/what-i-learned-from-improv-class/

 

http://health.usnews.com/health-news/health-wellness/articles/2014/11/25/the-health-benefits-of-practicing-improv

 

http://tinybuddha.com/blog/improve-your-life-lessons-on-taking-risks-accepting-gifts-and-more/

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Arquivo
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
  • Black LinkedIn Icon
  • Black Facebook Icon